Arquivo da categoria: tempos

regressus ad infinitum

ele já não era mais um vulto de si mesmo e continuava a seguir viagem naquele vagão, mesmo não sabendo para aonde aquele trem seguia, mas ele não estava preocupado com isso, pelo menos não naquele momento. sentado ali, olhando … Continuar lendo

Publicado em amor, paz, pequenos contos afáveis, sentimentos, tempos, Uncategorized | Marcado com , , , | Deixe um comentário

escuro e frio, bonito e iluminado

solidão maior é aquela em que a ausência pior é a de si mesmo… e existem ausências que não se desfazem com o tempo, por mais que esse insista em passar…

Publicado em feelings, lembranças, sentimentos, tempos | Marcado com , , , , , , , , , | Deixe um comentário

despedida

entra sorrateiramente, me atropela e me desorienta… amanheceu comigo e ao anoitecer ainda a sinto aqui, bem junto de mim. vou me despedindo com muito custo, semana longa e a dama de negro a me espionar pelos cantos onde passo. … Continuar lendo

Publicado em colo, dama de negro, despedida, portshead, tempos | Deixe um comentário