Arquivo da categoria: paz

regressus ad infinitum

ele já não era mais um vulto de si mesmo e continuava a seguir viagem naquele vagão, mesmo não sabendo para aonde aquele trem seguia, mas ele não estava preocupado com isso, pelo menos não naquele momento. sentado ali, olhando … Continuar lendo

Publicado em amor, paz, pequenos contos afáveis, sentimentos, tempos, Uncategorized | Marcado com , , , | Deixe um comentário

disritmia

[o pulsar ainda habita meu peito…] no descompasso do meu coração busco o teu ritmo junto ao meu. corpos travam, latejam e dançam. nos olhares furtivos nos esbarramos, para então num abraço tentar a entrega.

Publicado em amor, paz, sentimentos | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

é preciso amor pra poder pulsar

isso me traz algo tão bom, uma lembrança de uma época boa, de uma infância linda, livre, amorosa, intensa, pura, pulsante…amor intenso! cheiro de terra molhada, de folha seca, de banho e de pescaria em rio, de pé no chão, … Continuar lendo

Publicado em almir sater, amor, banho de chuva, banho de rio, cheiro de terra molhada, história, lembranças, paz, ser feliz | Deixe um comentário

em meio ao tufão

existem coisas que não tem como serem encontradas fora, por mais que se busque além. a felicidade e a paz, por exemplo, são estados de espírito e não de lugar. uma boa parte do tempo passamos lutando e tentando achar a … Continuar lendo

Publicado em caos, dialética, espírito, felicidade, gilberto gil, limites, paz, relaxar, respeito, respirar, sentimentos | Deixe um comentário